Simpósio internacional discute a relação entre psicanálise e os campos da ciência, literatura e artes

Evento virtual celebra os 70 anos da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo e terá entre os palestrantes a psicanalista e historiadora francesa Élisabeth Roudinesco

São Paulo, agosto de 2021 – A História da Psicanálise, bem como a relação entre a clínica psicanalítica e os campos da Ciência, Literatura e Artes, estarão em pauta no Simpósio 70 Anos!, promovido pela SBPSP – Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo – para celebrar o septuagésimo aniversário de filiação à IPA – International Psychoanalytical Association, fundada por Sigmund Freud.

O evento internacional, que acontecerá no dia 11 de setembro, reunirá expoentes em suas respectivas áreas divididas em quatro mesas de debate. Entre os nomes estão o da psicanalista e historiadora francesa Élisabeth Roudinesco, considerada uma das maiores especialistas em história da psicanálise, e que transformou a complexa teoria freudiana em matéria-prima para best-sellers, como a História da Psicanálise na França.

O encontro também contará com as presenças de Adélia Bezerra de Meneses, doutora em Teoria Literária, dos filósofos Oswaldo Giacóia Júnior, professor titular do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCPR, e Ricardo Fabbrini, Livre-Docente em Estética e Filosofia da Arte pela USP, e de psicanalistas da SBPSP: Carmen C. Mion, presidente da entidade, Dora Tognolli, diretora do Instituto, Luiz Carlos Uchôa Junqueira Filho, membro efetivo e analista didata, Elias Mallet da Rocha Barros, analista didata e supervisor, Leopold Nosek, membro efetivo e analista didata, Ana Maria Stucchi Vannucchi, diretora científica, Glaucia Maria Ferreira Furtado, diretora regional, Darcy Antônio Portolese, diretor de Atendimento à Comunidade, João Augusto Frayze-Pereira, diretor de Cultura e Comunidade, com a organização de Marta Foster, membro efetivo e analista didata. (veja aqui a biografia dos participantes). 

“Penso ser fundamental sonhar a Psicanálise e a formação, buscá-las no mais profundo do ser, da própria experiência de vida, como o fizeram nossos pioneiros. Demora-se muito a perceber que a Sociedade Brasileira de Psicanálise é a soma de todos nós que a ela pertencemos – cada um dos membros, que ao longo dos anos e até hoje traz consigo o seu sonho pessoal sobre a formação e a Psicanálise, e que, ao ingressar na Instituição, verá seu sonho evoluir para realidade ao se tornar um sonho compartilhado por muitos”, diz Carmen C. Mion.
E se a SBPSP cumpre este papel de disseminar conhecimento sobre a psicanálise, ao Instituto Durval Marcondes cabe a missão de formar analistas dedicados ao ofício.


“O Instituto tem uma marca de origem no Brasil. É pujante, uma vez que a psicanálise é um processo de formação contínuo. No Instituto, que não é uma escola, nem uma formação universitária, seus membros filiados têm atividades como aulas, supervisões, reuniões científicas, além de frequentarem um espaço de convívio no qual se contempla trabalhos científicos, clínicos e voltados à cultura. É uma sociedade plural, um lugar de discussão”, explica Dora Tognolli, diretora do Instituto.

Renda revertida para o Centro de Documentação e Memória

 
Toda a renda do evento será revertida para a atualização e digitalização do acervo do CDM – Centro de Documentação e Memória da SBPSP, cuja utilização é pública e tem como propósito preservar a história da Sociedade e da psicanálise no Brasil.

“O CDM foi pensado para alimentar a história da Sociedade, que se mistura à trajetória da psicanálise no Brasil. Entre os documentos estão as cartas de Freud para Durval Marcondes, fotografias, cadernos de análise, registros dos cursos que foram feitos, gravações em vídeo, livros, revistas e até mesmo alguns dos chapéus usados por Virgínia Bicudo e toalhas de apoio de cabeça dos divãs. Ao preservar a trajetória da SBPSP, o Centro contribui para a formação de outras sociedades de psicanálise espalhadas pelo Brasil e para a consolidação contínua da Psicanálise”, explica Elizabeth M. Ribas, consultora técnica do CDM.


Sobre a SBPSP

A Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo tem como propósito promover o desenvolvimento da Psicanálise, manter seu vigor e formar futuros psicanalistas, propiciando um ambiente fértil e vivo de aprendizado e de interlocução entre seus membros e com outros campos do conhecimento e da cultura. Conta com 506 membros associados e 362 membros filiados, em formação no Instituto de Psicanálise. Seus membros associados têm participação ativa no cenário nacional e internacional da Psicanálise e na vida associativa, por meio da IPA – International Psychoanalytical Association, FEPAL – Federação Psicanalítica da América Latina e da FEBRAPSI – Federação Brasileira de Psicanálise.

Serviço:
Simpósio 70 Anos!
Data: 11 de setembro de 2021
Horário: das 9h15 às 17h55
Investimento: de R$250 a R$390
Transmissão via Zoom, com tradução simultânea.
Inscrições pelo site: www.sbpsp.org.br

Mídias Sociais
Instagram: @sbp_sp
LinkedIn: /sbpsp
Facebook: /sbpsp

Assessoria de Imprensa
Helena Castello Branco
https://helenacastellobranco.com
helena@hcbcomunicacao.com.br
+ 55 (11) 9.9872.3676

Rede Multiétnica fortalece a economia e os saberes indígenas e quilombolas no Brasil

Projeto facilita a comercialização de produtos e peças artesanais de aldeias, quilombos e comunidades tradicionais em tempos de pandemia

São Paulo, maio de 2021 – Apoiar o escoamento da produção artesanal, alimentar, artística e extrativista de comunidades indígenas e quilombolas, estimulando a geração de renda e o desenvolvimento socioeconômico destes povos, especialmente nesta época de pandemia, é o que move a Rede Multiétnica, projeto criado pela Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, localizada na Chapada dos Veadeiros (GO), e pelo Centro de Estudos Universais, associação sem fins lucrativos de São Paulo.

O propósito do projeto é, ainda, o de contribuir com os saberes tradicionais, com a cadeia produtiva de artes, artesanatos, ferramentas e alimentos e com a economia da sociobiodiversidade, objetivando reforçar as práticas culturais e estimular a salvaguarda do patrimônio material e imaterial das comunidades participantes.  

Para dar suporte econômico e cultural ao longo do ano a esses grupos, a Rede Multiétnica oferece apoio e ferramentas às associações que os representam, entre elas, oInstituto Kabu; o projeto Mba’eapó Tenondé; a Associação Hotxuá; a Associação Hutukara e aAssociação Centro Cultural Kàjre.

“O projeto já vinha se estruturando antes mesmo da pandemia, e se torna ainda mais necessário neste momento”, explica Glaucia Rodrigues, diretora do Centro de Estudos Universais.

Para Juliano Basso, presidente da ONG Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, as aldeias indígenas e comunidades quilombolas têm, em suas riquezas culturais e ambientais, oportunidades sustentáveis de fomentar renda em benefício de seus povos.

“Há um desafio em criar capital econômico para as aldeias e comunidades, algo que não fazia parte da vida dessas populações, uma vez que tudo é monetizado atualmente. Por isso, é tão importante criar alternativas de renda que se revertam em benefícios para os indígenas e quilombolas. A aldeia tem o intuito de sensibilizar as pessoas por suas riquezas e por sua luta pela manutenção de suas crenças e formas de expressão e manifestação”, destaca.

Entre os produtos comercializados e vendidos pela Rede Multiétnica estão camisetas estampadas com elementos da cultura Mbyá-Guarani, da Aldeia da Figueira (RS); brincos confeccionados em miçangas pelas mulheres Kayapó (PA); ajakás, cestos típicos da cultura Guarani, em diferentes tamanhos, feitos de tiras de cana de taquara; cerâmicas do povo Waurá (Alto Xingu/MT); bonecas Karajás (da Ilha do Bananal), além dos produtos alimentícios do seu Otávio Kalunga, como a fava, milho de pipoca e farinha de mandioca. Os valores das peças variam de R$ 20 a R$ 1.200, com vendas no atacado e no varejo pelo site www.redemultietnica.com.br.

Aldeia Multiétnica

A Rede Multiétnica é um dos cinco projetos que integram a Aldeia Multiétnica (www.aldeiamultietnica.com.br) que, desde 2007, na Chapada dos Veadeiros, visa promover trocas e unir povos indígenas para fortalecimento de suas culturas individuais e lutas em comum, além de proporcionar a aproximação de não-indígenas com alguns destes povos.

O projeto reúne povos do Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga e Amazônia e de outros países que apresentam suas culturas de diversas maneiras (cantos, danças, gastronomia, pinturas corporais), compartilham a luta para manter sua cultura e territórios tradicionais e debatem com indígenas e não-indígenas as temáticas a respeito da realidade nas aldeias, por meio de rodas de conversa e da convivência diária durante o período dos eventos que, por conta da pandemia da Covid-19, estão suspensos, bem como em hospedagens e visitação no espaço físico da Aldeia Multiétnica.

Confira os canais da Rede Multiétnica:
Site: www.redemultietnica.com
Instagram: @redemultietnica


Awaken Talks na Veja SP!

A trajetória inspiradora de Kauê Rizk, idealizador do Awaken Talks, foi destaque na coluna A Tal Felicidade, da Veja SP.

Parabéns Kauê, uma alegria assessorar este projeto tão bacana e necessário, em parceria com meu sócio na Agência Beija-Flor PR, Felipe Boni, e com a jornalista Marlene Francisco!

E obrigada, Helena Galante, pelo espaço!

A difusão psicanalítica em tempos da cultura digital

Ainda nos tempos de Freud a Psicanálise, além de ser transmitida entre os psicanalistas (e futuros psicanalistas), era divulgada para o “público externo”. As instituições psicanalíticas eram o âmbito por excelência no qual se difundia o saber psicanalítico e as publicações impressas eram o veículo de propagação da recém-criada ciência do inconsciente.

Passados mais de 120 anos a Psicanálise ganhou o mundo, expandindo-se por quase todos os continentes, envolvendo dezenas de milhares de profissionais na sua prática clínica e construção permanente das suas teorias. A cultura digital colocou a difusão da Psicanálise em um patamar impensável há poucos anos. As fronteiras geográficas não são mais empecilho para o exercício clínico, as supervisões, a troca de informações entre os profissionais e o diálogo com as ciências e a cultura.

Que impacto a cultura digital tem gerado na difusão e na transmissão da Psicanálise? De que forma a linguagem midiática, em seu fluxo contínuo e acelerado, apoiada predominantemente nas imagens, interfere na lógica reflexiva e subjetivante característicos do fazer psicanalítico? O que as experiências dos grupos e instituições psicanalíticas tem revelado após as últimas décadas de expansão do uso das mídias sociais para a disseminação da Psicanálise na cultura?

Essas serão algumas das questões que serão postas em circulação através deste painel.

Carlos Pires Leal Diretor do Depto. de Difusão da Psicanálise SBPRJ

Painel

Laura Orsi
Coordenadora do Depto. de Psicanálise e Sociedade, Imprensa e Difusão da Associação Psicanalítica Argentina
Helena Castello Branco
Relações públicas e Assessora de Imprensa.
Carlos Pires Leal
Membro Efetivo e diretor do Depto.. de Difusão da Psicanálise da SBPRJ
Moderador:
Guilherme Salgado
Doutorando em Psicologia Clínica (PUC-Rio) e membro Provisório SBPRJ

Atividade gratuita | Vagas limitadas

Inscrições:sbprjeventos@gmail.com

Mais informações: sbprj@sbprj.org.brDepto. de Difusão da Psicanálise e Conselho Científico Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro

Ekam lança o Dia Mundial da Unidade

Evento online contará com 10 milhões de pessoas doando a energia da Deeksha simultaneamente, para impactar a consciência da humanidade

No dia 07/03, domingo, às 9h30, será lançado por Sri Preethaji e Sri Krishnaji, co-fundadores do Ekam, o Dia Mundial da Unidade. Com uma hora de duração, o evento online, ao vivo e global, contará com mais de 10 milhões de Meditadores transmitindo simultaneamente a energia espiritual da Deeksha e com as bençãos dos mestres indianos Sri Amma e Sri Bhagavan, para impactar o planeta Terra com uma reverberação capaz de mover a humanidade a estados de Unidade.

O instituto Heartmath (www.heartmath.com/) e outros institutos de pesquisa medirão o campo magnético gerado pelo impacto desta Deeksha fenomenal. Para ajudar a criar essa onda gigantesca de Unidade e gerar ainda mais poder da Deeksha, Sri Preethaji e Sri Krishnaji estão vivendo, desde o dia 13/02, em Maha Tapas, estados de consciência muito elevados.

Sri Preethaji e Sri Krishnaji são líderes espirituais, místicos e filósofos que, junto aos mestres Sri Amma e Sri Bhagavan, co-criaram o Ekam – O Campo da Unidade, um campo místico localizado perto da cidade de Chennai, no Sul da Índia. Eles acreditam que no cerne de todos os nossos problemas, sejam eles políticos, econômicos ou ambientais, está a divisão. E a solução começa com a consciência; da divisão à unidade. A Unidade é um espaço a partir do qual pode-se descobrir soluções verdadeiras. A Deeksha é um fenômeno que proporciona uma mudança neurobiológica no cérebro do receptor em direção à Totalidade. Durante a Deeksha, o cérebro e a consciência se abrem para o poder de nosso Divino pessoal.

O evento terá tradução simultânea em Português pelo canal Ekam Channel Portuguese no YouTube (https://youtu.be/wYG4kzC7qqE) e é aberto a todos que desejam participar doando ou recebendo Deeksha.

Serviço
Dia Mundial da Unidade
Evento online gratuito
Com Sri Preethaji e Sri Krishnaji, Sri Amma e Sri Bhagavan, fundadores do Ekam – O Campo da Unidade
Quando: 07 de março
Horário: 9h30
Como participar: canais do YouTube PKConsciousness (https://youtu.be/ZdegbnVhYXk – em Inglês)  e Ekam Channel Portuguese (https://youtu.be/wYG4kzC7qqE – em Português)

Organizador no Brasil: O&O Academy Brasil: www.ooacademybrazil.com/dia-mundial-da-unidade/
Site Ekam – O Campo da Unidade: https://ekam.org/

Awaken Talks lança livro com relatos simples e profundos sobre a arte de viver

Intrigante e instigante, obra é um convite à ressignificação do entendimento da jornada da vida

http://bettymilan.mktnaweb.com/messageimages/11011227296117939/161179315018256600/awaketalkslivro.jpeg

São Paulo, janeiro de 2021  – Iniciado em 2018, com o propósito de compartilhar histórias reais de superação, o Awaken Talks, plataforma que reúne experiências de vida e conteúdos focados em autoconhecimento, lança em livro as histórias de 20 participantes que passaram pelo projeto. Histórias de Despertar – Relatos simples e profundos como a essência da alma (selo Liberty Books) relata momentos cruciais na vida dos autores que, depois de atravessarem um momento crítico, tiveram uma mudança de consciência e passaram a observar a vida a partir de uma nova perspectiva.

Em seus três anos, o Awaken Talks realizou mais de 20 painéis presenciais, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, que geraram mais de 100 histórias de despertar. Neste ano de pandemia, além de um painel presencial ocorrido em março, foi lançada uma websérie com 26 entrevistas sobre o poder da vulnerabilidade. Os conteúdos foram publicados no YouTube do projeto e em formato de podcast nas principais plataformas como SpotifyAppleGoogleAnchor e Deezer.

Sobre os autores, Kauê Rizk, idealizador do Awaken Talks, explica que: “Somos jovens, anciãos, pertencemos a diferentes raças e credos, classes e estilos. Mas todos nós temos algo em comum: nos tornamos vulneráveis no dia em que nos sentamos no banquinho do Awaken, contamos a nossa história e finalizamos o relato com o ato simbólico de depositar uma pequena pérola que representa a nossa história na eternidade, pois a gravação e a publicação na internet eternizam esse movimento”. “Seria fácil criar uma roda de compartilhamento de histórias, mas estruturar um evento presencial com o ambiente adequado para quem conta se despir em frente às pessoas e as câmeras é o grande desafio na qual temos o orgulho de realizar. As histórias são disponibilizadas no YouTube e agora, 20 delas também viraram livro. Este é o primeiro de uma série editorial. “Nosso papel é valorizar a escuta ativa, a atenção plena e sermos guardiões das histórias de despertar, independentemente da plataforma” conta Kauê.

Entre os autores, está Antonio Silva Pinto (Tonheca), que relata como encarou de frente o sobrepeso e hoje é ultraciclista e recordista mundial do Guinness. Eliane Rizk (curadora e cofundadora do Awaken Talks), ainda bem jovem, decidiu que adotaria uma ou mais crianças. E, mesmo com adversidades, com muito amor, foi o que fez. Depois de muita pobreza, andanças e enganações sofridas no futebol profissional, Júlio Ferraz encontra no halterofilismo e seus títulos mundiais, seu ponto de apoio e aprendizagem que o fortalece. Max Nolan Shen traz a sua visão inovadora sobre as organizações que curam ­­e assegura que já existe uma nova forma de trabalhar de modo colaborativo e sociocrático. Reinaldo Rizk (curador e cofundador do Awaken Talks) gostava muito de jogar tênis e conseguiu aplicar as lições do esporte em sua própria vida, mostrando a sua força nas suas escolhas e decisões de amor, que não necessariamente eram as mais óbvias. Ricardo Ueno sempre foi um menino diferente, que teve de aprender a lidar com o bullying. Mas ao ultrapassar esses limites que lhe foram impostos, se viu como sujeito de sua história. Sandra de Souzanasceu no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, e, depois de muita luta, venceu a pobreza e hoje é uma empreendedora de sucesso.

Participam ainda do livro: Alexandre Santucci, Alvaro Ibañez Doria, Anderson Pires, Cindy Carbonara, Daniel Kovacsik, Emerson Feliciano, Giovanna Fabrega Pauletto, Leandro Fauzer, Marcel Spadoto, Rafael Maretti, Renata Faria, Samira Wegbecher, Sandra de Souza do Amaral, e o próprio Kauê Rizk.

“Todos nós temos nossas buscas por aquilo que não conhecemos. Nossas dúvidas, angústias, anseios e desejos de conhecer a verdade. Desanimamos quando temos a percepção do quão distante ela está de nós, mas sempre há uma luz que nos resgata e nos liberta. Apesar da dificuldade em acessar essa libertação momentânea que abre nosso coração e, a partir dela, nosso caminho, seguimos em busca deste sentimento. E sempre que há superação é porque houve fé, transportada pelo amor, que é universal”, detalha Kauê no Manifesto do Awaken Talks (leia aqui na íntegra). “Quem conta a sua história aprende mais sobre si e, quem ouve, se inspira”, explica o idealizador.

A leitura também navega por temas como racismo no ambiente corporativo, com algumas propostas de organizações mais colaborativas; cura do câncer, bipolaridade, entendimento da perda de um ente querido, ressignificação da paternidade, travessia de um imigrante persistente, estresse profundo, burnout e o encontro da meditação, separação matrimonial, depressões profundas que beiraram o suicídio, e muito mais. Lembrando que todas as histórias têm em comum a superação e a transmutação a caminho da evolução do ser humano.

O livro está à venda no site www.awakentalks.com.

Ficha técnica

Histórias de Despertar – Relatos simples e profundos como a essência da alma
Editora Liberty Books | Ano: 2020 | Número de Páginas: 124 | Acabamento: Brochura | Volume: 1|Idioma: Português | País: Brasil | Altura: 21 | Largura: 14 | ISBN 978650011756-1 | Coordenação editorial: Monica Miglio e Silvia Regina Angerami

Fotos em alta para download: clique aquiAwaken TalksSite: www.awakentalks.comFacebook: /awakentalksInstagram: /awakentalksYouTube: awakentalks

Sobre a Reality BooksA Reality Books tem o propósito de transformar sonhos em realidade. Tem mais de 10 anos no mercado e mais de 30 livros editados. Possui 3 selos: Reality books, Fantasy books (infantis e ficção) e Liberty books (desenvolvimento pessoal e expansão da consciência).www.realitybooks.com.br/ 

Everest Ridge renova portfólio para atender demanda por segurança da informação e otimização de redes

Serviços como RPKI, Data Center e Tratativa de peering estão entre os mais necessários nas empresas em tempos de pandemia

Em tempos de home office em função da pandemia do novo coronavírus, de empresas e órgãos oficiais sofrendo ataques hackers e de sistemas de nuvens como principais armazenadoras de dados, a Segurança da Informação nunca foi tão necessária como hoje. Segundo a plataforma Fortinet Threat Intelligence Insider Latin America, o Brasil sofreu quase 3,5 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos de janeiro a setembro de 2020. Neste contexto, empresas do segmento se aprimoram para atender a demandas cada vez mais específicas e complexas com o propósito de recursos cada vez mais estratégicos e tecnológicos.

É o caso da Everest Ridge, companhia com expertise em planejar, gerenciar e dar suporte a infraestruturas de telecomunicações e tecnologia da informação. A companhia potencializou seu portfólio incluindo Serviços gerenciáveis (SaaS), que através desses serviços, conseguimos possibilitar a segurança de dados, além da melhoria de disponibilidade da infraestrutura do cliente e a economia nas empresas que os utilizam, como: como Verificação de Vazamento de prefixos (Automático), Gestão de Prefixos (Liberação e Remoção Automático) e Tratamento de Peering (Solicitação e Gerência). Já em segurança, temos os nossos serviços de implantação de RPKI, Serviços de RTBH (Black Hole automático) ou Desvio de Tráfego Automático do trafego com ataques de DoS e DDoS.

A nova atuação da Everest Ridge também abrange Suporte em Redes (IP/BGP (Nível 3) e Field Service e Serviços de Data Center comoStorage (As a Service), Cloud (Servidores Virtuais), Colocation, Serviços de Backup e Locação de equipamentos; Serviços de rede,como NOC (Networking Operation Center), SOC(Security Operation Center). A empresa manteve a Consultoria em redes e de redes, como NOC – Network Operation CenterSOC – Security Operation Center.

– Com o novo mix de serviços, podemos entregar soluções muito mais completas para nossos clientes – empresas de todos os portes e ISPs (provedores de internet) -, proporcionando diversos benefícios como redução de inatividade de equipamentos e redes, redução de custos com mão de obra e implementação de boas práticas de segurança, explica Eduardo Meirelles, diretor comercial da Everest Ridge.


Conheça os novos serviços da Everest Ridge 

RPKI

Uma das soluções mais modernas do mercado para impedir roubo de informações já que na estrutura de roteamento de internet, todos os pontos de acesso e troca de dados precisam estar seguros.

A RPKI funciona com framework de segurança e utiliza certificados digitais para validar as rotas e impedir que os prefixos sejam roubados. Em outras palavras, a RPKI aumenta os “muros de proteção” da rede da sua empresa, tornando o roteamento de internet mais eficiência e seguro.

Data Center

As soluções em Data Center (Storage, backup ou Cloud) estão cada vez mais consolidadas dentro das empresas, pois atendem às necessidades de infraestrutura de software e hardware dentro do mercado corporativo.

Contratar soluções de Data Center é fundamental para qualquer empresa, independente do seu porte. Com o aumento no tráfego e dados nos últimos anos é preciso contar com uma certa flexibilidade, como Storages e servidores Virtuais disponíveis e avançados, que oferecem uma manutenção preventiva, armazenamentos eficientes, acompanhamento de desempenho de ativos contratados, entre outras soluções

Além disso, as soluções de Data Center em nuvem permitem que o acesso e armazenamento de dados sejam feitos a qualquer momento, de qualquer lugar. Com o crescimento dos ciberataques, é necessário que os sistemas das empresas estejam sempre atualizados e os dados armazenados de forma correta garantir maior segurança.

Tratativa de Peering

Gerar maior eficiência e velocidade na comunicação com a internet global é o principal objetivo da tratativa de peering. Essa metodologia permite a troca de tráfego entre redes IPs, otimizando o tráfego e aumentando a velocidade e a segurança na troca de dados.

A tratativa de peering permite a realização da troca de tráfego entre os usuários das redes e uma melhor distribuição de conteúdo de maneira separada. Com a expertise da Everest Ridge no mercado, entendemos que muitos de seus clientes não possuem uma área em sua estrutura focada em solicitação e acompanhamento de peering, com isso, decidirmos criar uma área em nossa empresa para ajudar esses clientes a melhorarem suas conectividades e aumentar a eficiência de sua rede, além de reduzir custos com compras de trânsitos IP.

Sobre a Everest Ridge

A Everest Ridge é uma empresa brasileira com abrangência nacional especialista em conectividade, gestão e segurança de redes de telecomunicações. Fundada em 2010, oferece serviços desde a concepção, desenho de uma nova rede e a conectividade, até a otimização da rede de grandes empresas, tendo com maior benefício a redução de custos fixos em média de 30%. Possui NOC e SOC 24×7. Entre seus clientes estão Eletronet, Master, Engemon IT, Verisure, Vogel, Wirelink, Um Telecom, AMPERNET e MHNet.

Empresas de Telecom se unem para divulgar vagas e ajudar quem procura emprego

Megatelecom e Everest Ridge lançam a iniciativa “Networking do Bem” para utilizar suas redes sociais anunciando vagas próprias e de empresas parceiras

São Paulo, setembro de 2020 – Tendo em vista o cenário atual em que a taxa oficial de desemprego subiu para 13,3% no trimestre encerrado em junho, atingindo 12,8 milhões de pessoas, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), as empresas Megatelecom e a Everest Ridge, que atuam com soluções de telecomunicações e TI, lançaram uma inciativa para ajudar profissionais a conseguir uma colocação no mercado de tecnologia. Chamada de “Networking do Bem”, a ideia consiste em empresas divulgarem, em suas redes sociais, vagas em aberto também em outras companhias.

“Nossa intenção é ajudar as pessoas a terem acesso ao maior número de oportunidades disponíveis, sejam na Megatelecom ou em outras empresas. Acreditamos que isso pode fazer a diferença entre conseguir um emprego ou não nesse momento tão delicado economicamente”, explica o CEO da Megatelecom, Carlos Eduardo Sedeh, afirmando que a companhia divulga, em média, 30 vagas próprias, por mês, em sua rede, e pretende elevar esse número com as parcerias do projeto.

“O mercado de Telecom e TI está sempre em expansão e por isso a necessidade constante de contração de novos profissionais. Com essa iniciativa, criamos também uma rede de contatos para ajudar profissionais que precisam de recolocação, especialmente neste momento de pandemia”, conta Eduardo Meirelles, Diretor Comercial da Everest Ridge.

É possível conferir as vagas em aberto nas mídias sociais das duas empresas: linkedin.com/company/megatelecomtelecomunicacoes/, facebook.com/evrd.brlinkedin.com/company/everest-ridge/, instagram.com/ridgeeverest/. Além disso, as companhias que tiverem interesse em participar desta iniciativa, devem entrar em contato pelo e-mail contato@everestridge.com.br.


Sobre a Megatelecom                                       

Megatelecom Telecomunicações S/A atua desde 1999 nos mercados de provimento de acesso à Internet, links de transporte de longa distância e alta capacidade e telefonia. Com o conceito de uma butique de telecomunicações, a Megatelecom oferta soluções customizadas e projetos especiais para clientes corporativos e operadoras de comunicações. A oferta da empresa foca em serviços de valor adicionado, como transmissão de dados com menor latência e projetos de segurança de rede.

Sobre a Everest Ridge

A Everest Ridge é uma empresa brasileira especialista em conectividade, gestão e segurança de redes de telecomunicações. Fundada em 2010, oferece serviços desde a concepção, desenho de uma nova rede e a conectividade, até a otimização da rede de grandes empresas, tendo com maior benefício a redução de custos fixos em média de 30%. Possui NOC e SOC 24×7. Entre seus clientes estão Eletronet, Master, Engemon IT, Verisure, Wirelink, Um Telecom, AMPERNET e MHNet.