Covid-19: Psicanalistas em São Paulo formam rede de escuta gratuita a profissionais de saúde

Atendimento pontual e online é voltado para todos os profissionais que atuam nos serviços de combate à pandemia, como médicos, enfermeiros, motoristas de ambulâncias, vigias, agentes de apoio

São Paulo, maio de 2020 – Com o objetivo de acolher as angústias dos profissionais de saúde que estão na linha de frente de combate à Covid-19, a Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo – SBPSP criou uma rede de escuta formada por mais de 150 psicanalistas, que estão oferecendo gratuitamente seus serviços à esta parcela da população.

“São conversas emergenciais, para cuidar de forma pontual deste momento”, explica Magda Khouri, Diretora de Atendimento à Comunidade da SBPSP. “A natureza do trabalho ao qual estão submetidos os profissionais de saúde durante a pandemia gera um forte desgaste e tensão emocionais. Se não for cuidado, o acúmulo dessa pressão pode trazer diversos transtornos como ansiedade e depressão. Por meio da escuta psicanalítica, é possível obter uma pausa para uma reorganização psíquica. A pessoa consegue delinear o que não foi possível na urgência do dia a dia, dando mais expressão ao seu trabalho e à sua vida, ao ter um espaço para a angústia subjacente à toda essa circunstância”, complementa Magda.

Dentre os fatores que geram sofrimento psíquico para os profissionais de saúde durante a pandemia estão alto risco de exposição, medo de ser infectado, cargas extremas de trabalho, dilemas morais, exigência de práticas que diferem das que estão acostumados, além de sobrecarga de tarefas.

Na primeira semana de funcionamento da Rede SBPSP de Escuta Psicanalítica foram atendidos 86 profissionais de saúde da rede pública e privada, entre agentes comunitários, assistente sociais, auxiliares de enfermagem, cuidadores, dentistas, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, médicos e psicólogos.

Para agendar, os interessados devem preencher um formulário em https://bit.ly/2VcE7QG. Os atendimentos são realizados por telefone e por ferramentas digitais (WhatsApp, Skype, Zoom) e o programa será disponibilizado por tempo indeterminado, enquanto durar a pandemia.