Vem aí a segunda etapa do Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros

 

Grupo Mawaca (SP) – História de 22 anos de música e multiculturalidade

Chapada dos Veadeiros, 20 de julho de 2017 – Desde o dia 15 de julho acontece na região centro-oeste do estado de Goiás um expressivo evento dedicado às manifestações e costumes dos povos originários e das comunidades tradicionais do Brasil. A primeira semana do Encontro de Culturas da Chapada dos Veadeiros, que já está em seu 17º ano, foi dedicada à reunião de povos indígenas de diversas etnias, de distantes regiões do país. Nestes 7 (sete) dias, cerca de 2.100 pessoas passaram pela Aldeia Multiétnica, conhecendo e vivenciando formas ancestrais de expressões brasileiras e sua relação com o mundo contemporâneo. As lideranças indígenas presentes, representantes de mais de 15 etnias, também discutiram políticas públicas e ações efetivas de preservação do modo de vida de suas comunidades e de proteção ao meio ambiente. Entre cantos e apresentações rituais, dos mais de 100 indígenas presentes, muito foi debatido a respeito dos direitos dos povos originários e de sua consequente repercussão na conservação dos recursos naturais do planeta.

De 22 e 30 de julho, os indígenas darão lugar às manifestações de outros povos, que também são a expressão das raízes do nosso país. O IV Encontro Quilombola da região da Chapada dos Veadeiros abre a nova semana, que também oferece seus palcos para artistas contemporâneos e de expressão regional. Nesta etapa o poder das festas religiosas e das artes produzidas pelo povo brasileiro é que garantem um caleidoscópio de cores, luzes, cantos, cenas e passos. Esta parte do evento está sediada na Vila de São Jorge, distante 36 Km de Alto Paraíso.

Algumas das apresentações programadas são: Festa da comunidade do Sítio Histórico Kalunga; Show e gravação de DVD do grupo Passarinhos do Cerrado (GO), dia 23/07; Festa da Caçada da Rainha de Colinas do Sul (GO); Caretada de Paracatu (MG); Show do grupo Mawaca (SP); Show de Alessandra Leão e Caçapa (SP); Show de Doroty Marques (Arreuní); Show de Emília Monteiro (Amapá), Silvan (PA) e Mestre Solano (PA); Show da Turma que Faz (Grupo de jovens de Alto Paraíso); Congo de Niquelândia e Terno de Moçambique; Show de Cátia de França (PB), Chico César e Conrado Pêra.

O Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros é realizado pela Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge. A produção é da Balaio Produções Culturais. O evento conta com a parceria do Governo Federal, por meio do Ministério da Cultura e Ministério do Meio Ambiente, do Instituto Federal de Goiás, do Governo do Estado de Goiás, por meio da Secretaria de Educação e Cultura (Seduce) e da Goiás Turismo, e Prefeitura Municipal de Alto Paraíso.

Sábado – 22/07 – Abertura Quilombola

As atividades do sábado, 22, dão o tom da programação da semana, em São Jorge. Uma roda de prosa, às 14h30, na Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, abre os trabalhos tratando dos processos de conservação do Cerrado e de suas águas, apresentando as dinâmicas das comunidades tradicionais no manejo de suas reservas ambientais e culturais, com foco na comunidade do Sítio Histórico Kalunga e nos povos da Chapada dos Veadeiros. A Sussa, dança tradicional dos quilombos de Goiás, que há mais de 100 anos está presente nas festividades deste povo, embeleza essa abertura festiva e cerimoniosa. Uma oficina de circo, uma palhaceata e a apresentação de teatro popular da Cia Tem Sim Sinhô, também são parte dessa programação abre-alas. A partir das 17h as ruas da vila recebem mais manifestações da Comunidade Kalunga, que apresenta trechos da Folia do Divino, realiza uma Procissão com Candeias e faz o hasteamento do Mastro do Divino Espírito Santo. O cair da noite dá lugar a mais passos de dançadeiras de Sussa, inclusive crianças de um grupo local. Pra encerrar o primeiro dia a festa Forró Kalunga apresenta o artista Beirão, que garante que vai colocar todo mundo pra dançar, com seu forró-punk-rock de brasileiro, que mistura rock e baião, heavy-metal e coco, Mick Jagger e Luiz Gonzaga, John Lenon e Jackson do Pandeiro.

Domingo – 23/07 – Do Império e da Caçada ao Coco de Folia

No domingo, 23, a sabedoria popular tem espaço especial na programação do Encontro de Culturas Tradicionais e do IV Encontro Quilombola da região da Chapada dos Veadeiros. Logo pela manhã, às 8h, tem início a oficina de identificação de plantas do Cerrado, que será ministrada pelo Seu Adelídio, raizeiro da comunidade de São Jorge, que promete revelar segredos sobre a utilização da flora do cerrado para fins alimentares e curativos. Neste mesmo horário tem a oficina de preparação para a festa do Império Kalunga, cuja coroação do Rei e da Rainha acontecerá no período da tarde. Também no turno vespertino serão realizadas as oficinas de Sussa (dança típica dos quilombos de Goiás) para crianças, oficina de danças tradicionais sergipanas e oficina de música com o grupo Mawaca. Um desfile de moda com Tuya Kalunga também faz parte da valorização do trabalho dos povos do cerrado. A programação artística do dia fica por conta da Cia de Teatro Tem Sinhô e do show de gravação do DVD dos Passarinhos do Cerrado. Pelas ruas, a população de São Jorge e os visitantes do Encontro vão poder acompanhar trechos da Festa Caçada da Rainha de Colinas do Sul e trechos da Festa Império Kalunga.

Segunda – 24/07 – Músicas do mundo e Danças de Improviso

Uma segunda-feira, 24, com toda arte do mundo e as danças de cada um. Neste dia o Encontro de Culturas e o Encontro Quilombola garantem vastos conhecimentos e muito movimento aos moradores de São Jorge e aos visitantes da cidade e do evento. Logo pela manhã o Grupo de Dança Por Quá? e o grupo Vida Seca fazem na rua o seu Por Acaso_Manhã de Improviso, onde todo mundo pode dançar e fazer música do jeitinho que bem quiser. Também nesse horário acontece uma roda de prosa sobre as potências dos produtos do cerrado e o extrativismo sustentável. No período vespertino é a vez da música indígena ser o tema de uma oficina sonora ministrada pelo Grupo Mawaca, de São Paulo. Pintura intuitiva com tinturas naturais também poderão ser aprendidas, com o pessoal da Arte Terra. Nesse dia também tem mais oficina de danças populares, também no turno da tarde. No período noturno as ruas de São Jorge serão coloridas pela Caretada de Paracatu. As atrações artísticas de palco ficarão por conta do Grupo Mawaca, e sua música mundial, e do Grupo Xaxado Novo.

Terça – 25/07 – Mulheres negras e forró cigano

A terça, 25, será dedicada às mulheres negras e do mundo. Pela manhã uma roda de prosa sobre as mulheres negras na história reconhece a expressão feminina na construção da cultura brasileira. À tarde é a vez das oficinas “Cadê o cantador?” (com Alessandra Leão), pandeiro e percussão corporal e oficina de catira. O show Peña Folclórica, com Doroty Marques e Turma que Faz (projeto comunitário de São Jorge com jovens da região) e a festa Forró Cigano, comandada pelos grupos Mawaca e Xaxado Novo, são as atrações desta noite.

Serviço

IV Encontro Quilombola da região da Chapada dos Veadeiros e segunda semana do XVII Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros

Quando: 22 a 30 de julho de 2017

Onde: Vila de São Jorge, Chapada dos Veadeiros, GO

Fotos e releases: https://goo.gl/J3UsCe

www.encontrodeculturas.com.br

Anúncios

Cine Aldeia aborda importantes temas da cultura indígena

Atividade faz parte da XI Aldeia Multiétnica, no XVII Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros 

Chapada dos Veadeiros, 18 de julho de 2017 – Uma das novidades da XI Aldeia Multiétnica, primeira parte do Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, é a realização do Cine Aldeia. Até 19 de julho, serão exibidos 37 filmes, entre curtas e longas, e 10 clipes que abordam importantes temas da cultura indígena. A mostra é coordenada pelo cineasta Pedro Guimarães e curada pela jornalista Thais Brito da Silva, que é também uma das realizadoras do Cine Kurumin – Mostra Audiovisual Indígena e do Espalha a Semente – Comunicação e Cultura Indígena, premiado pelo Ministério da Cultura.

Na programação, filmes gravados em territórios indígenas do Brasil, EUA, Canadá, Peru, Panamá, Argentina, Chile, Bolívia, México, Colômbia e Paraguai. Dentre os destaques da mostra, Martírio, de Vincent Careli, que analisa a violência sofrida pelos Guarani Kaiowá, uma das maiores populações indígenas do Brasil, Taego Ãwa, de Marcela Borela, com registros culturais da tribo Ãwa, Demarcação já, de André D’elia, que traz uma homenagem de mais de 25 artistas aos povos indígenas do Brasil, e filmes do cineasta Kamikiã Kisedje. Marcela Borela, Kisedje e Delia participam ainda presencialmente da mostra.

“Os filmes são uma das formas de comunicação possíveis entre os mundos. As imagens do mundo interior se revelam, criando novas possibilidades de existência pessoal e comunitária, curando e guiando os sonhadores e aqueles que os cercam. No cinema indígena, as imagens criam pontes e mostram caminhos para acessarmos a memória do espírito do planeta. Nos relembrar que todos vivemos o mesmo mito: a humanidade”, explica o cineasta Pedro Guimarães, coordenador da mostra.

Serviço:
O que: Cine Aldeia – Mostra de Cinema Indígena
XI Aldeia Multiétnica do XVII Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros
Quando: até a 21 de julho de 2017
Onde: Aldeia Multiétnica, Chapada dos Veadeiros, GO (22 Km de São Jorge)
Programação Completa: https://goo.gl/WBHYVe
Fotos de divulgação: https://goo.gl/oe19Nm
Mais informações: www.encontrodeculturas.com.br

Virada Zen Market traz marcas conscientes e atividades focadas no bem-estar

São Paulo, 15 de julho de 2017 – A primeira edição da Virada Zen Market, programação de yoga, meditação, produtos e serviços de moda, beleza, decoração, gastronomia e arte, acontece dia 29 de julho, na Unibes Cultural, como resultado da parceria entre o networking de marcas conscientes Slow Market e a Virada Zen, movimento que conecta pessoas a atividades e conteúdos relacionados ao bem-estar integral e à cultura de paz.   

Meditação ativa do Osho (Fonte: http://www.osho.com)

Curadora do evento e do Slow Market, Melissa Volk conta que o principal objetivo é aumentar o número de praticantes e conhecedores do mindfulness e mostrar que não é preciso sair de São Paulo para atingir um equilíbrio e ser mais “zen” e estar em harmonia em uma cidade grande.

O evento começa com uma Meditação Ativa do Osho, promovida pelo Momento Conexão, numa modalidade que inclui dança, com a proposta de elevar a energia e a vibração. As crianças também iniciam o dia com Meditação e Yoga, com a professora Flavia Schuler, do Espaço Natividade.  A programação da tarde traz oficina de reciclagem de tapete de yoga com as marcas Ekomat e Advogada que Virou Vaso, Tai Chi no Pátio, com Roger Yokoyama, Oficina de customização de camisetas com arte, para crianças de 4 a 8 anos, com Nathalie Esses (Banditee) e Tuca Braga do Atelie Natividade. Tem também live painting com colagem do artista plástico Sérgio Fabris, enquanto Cézar Cayom eleva o público ao som de seu didgeridoo, instrumento aborígene australiano. A parte musical conta ainda com um mix sofisticado e dançante de músicas indianas e eletrônicas do DJ Luiz Franco, da UMZEROOITO e Soundsquadmusic. Para encerrar, show com a banda Tribo das Cores. Ao longo do dia, o ambiente é embalado ao som da Rádio Viva Zen, que também estará com produtos da Loja Viva Zen.

Flavia Schuler, do Espaço Natividade, ensina meditação para crianças

Mariana Amaral, idealizadora da Virada Zen e Virada Sustentável, esclarece que a iniciativa é mais do que um evento: “O movimento Virada Zen é uma grande plataforma onde as causas ligadas à qualidade de vida e bem-estar se encontram e dão a oportunidade para o público de conhecer filosofias e práticas, por meio de vivências e da arte, de forma gratuita e acessível”.

Entre os expositores, uma curadoria bem variada de produtos e marcas conscientes como: Mind the Box, com produtos e caixas concebidos para práticas de meditação e relaxamento, ÔChá, com suas ervas e temperos, Ekomat, que estará com 20% de desconto em todos os seus produtos, Mura Beads, apresentando sua linha de japamalas para casa, Verse, com roupas para práticas e zafus de meditação, Galeria Patricia Centurion, com a linha de joias Lágrimas de Shiva desenvolvida em parceria com Marcia de Luca para Yogini, marca que também estará no evento. A UMZEROOITO vai apresentar uma linha masculina de japamalas tibetanos e essências para casa, e haverá ainda as cerâmicas da Fontoura & Kiehl, plantas da Advogada que Virou Vaso e incensos artesanais em pó completamente naturais da Primeira Folha  

A alimentação, orgânica, natural e vegetariana será do food truck Camari Trailer. Na decoração do evento, fios iluminados da LumyLuz e de mandalas de crochê em bambolês de Letícia Matos. Os visitantes poderão ainda concorrer a sorteios de almofadas de meditação da Mind The Box, kit chás e escalda pés da Ôchá, look yoga completo da Yogini e outras surpresas.

Serviço: Virada Zen Market
29 de Julho, das 11h às 20h
Unibes Cultural – R. Oscar Freire, 2.500 – Sumaré – São Paulo. Tel. 11 3065-4333

Entrada gratuita
Contribuição sugerida: doação de roupa para ações sociais da Unibes Cultural

http://slowmarketbr.com/viradazen-market/
Instagram @slowmarket_br @viradazen
Facebook /slowmarketbr e /viradazenbr

Download de fotos em alta aqui