Casulo cria campanha para ONG Exemplo Legal

A Casulo Apresentações Vencedoras é responsável pela criação da campanha Todos, Iguais, Vem! da ONG Exemplo Legal, que visa repercutir as atitudes transformadoras de iniciativa empresarial, social e cultural que obtiveram resultados exemplares multiplicados. O mote é “Transforme a sociedade antes que ela transforme você”.

A agência desenvolveu um PowerPoint, que será utilizado para apresentação da ONG em palestras, com recursos dinâmicos, como gráficos, vídeos e ilustrações, onde incluiu um totem com os sinais todos, iguais e vem em libras (imagem abaixo). Segundo Bernardo Castello Branco, Diretor de Criação e Atendimento da Casulo, o trabalho também se estende às mídias sociais com a identidade visual da Exemplo Legal no Facebook, Twitter e YouTube.

O Comitê Exemplo Legal é uma comunidade cibercultural de participação gratuita, formada por internautas da sociedade civil, sem vínculo religioso ou partidário, disposta a compartilhar todas as ações socioculturais exemplares que se deparem no dia a dia – curtindo e participando a partir deste simples gesto virtual, da construção colaborativa de uma sociedade exemplo legal.

Assessoria de imprensa
Helena Castello Branco
Comunicação & Cultura

Anúncios

Controle das Parcerias entre o Estado e o Terceiro Setor pelos Tribunais de Contas

Livro de Janaina Schoenmaker mostra que, além de fiscalizar a legalidade no uso dos recursos públicos, os tribunais podem analisar a gestão e os resultados das parcerias

A frequente constatação de casos de malversação de recursos públicos por entidades privadas do Terceiro Setor, a ausência de controle pelos órgãos parceiros e o tímido controle social desses abusos fazem crescer a importância do exercício das competências constitucionais dos Tribunais de Contas”, afirma a advogada Janaína Schoenmaker em Controle das parcerias entre o Estado e o Terceiro Setor pelos Tribunais de Contas. Segundo ela, é falsa a impressão de que assim fazendo essas Cortes estarão interferindo na esfera privada, bem como a alegação de que não possuem competência constitucional para fazê-lo diretamente sobre as entidades do Terceiro Setor, e não por intermédio dos órgãos públicos que com elas celebraram parcerias e que transferiram recursos públicos.

Com lançamento marcado para o dia 21 de novembro, das 19 às 21h, na Livraria da Vila – Loja Lorena, em São Paulo, a obra se baseia na dissertação de mestrado que a autora defendeu em 2009 na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo – USP, sob orientação da professora doutora titular de Direito Administrativo dessa escola, Odete Medauar, que assina o prefácio desta edição.

Depois de contextualizar o tema sob a ótica da Administração Pública Consensual, Janaína Schoenmaker introduz a noção de Terceiro Setor e suas atividades para fins de parceria. Examina também o fomento estatal, os tipos de transferências voluntárias de recursos públicos e os instrumentos de parceria, como convênios, contratos de repasse e de gestão, e termos de parceria. A questão do controle pelos Tribunais de Contas das parcerias entre Estado e Terceiro Setor é examinada em seus fundamentos, sendo analisados os tipos de fiscalização, seus aspectos, as competências constitucionais do Tribunal de Contas da União aplicáveis sobre essas parcerias e o procedimento para a sua operacionalização. Por fim, aborda os efeitos diretos e indiretos das decisões dos referidos Tribunais, como medidas cautelares e sanções, sobre as entidades e seus dirigentes.

Sobre a autora
Janaina Schoenmaker é especialista em Direito Administrativo pela Fundação Getulio Vargas de São Paulo – FGV, mestre em Direito Administrativo pela Universidade de São Paulo e advogada em São Paulo. Figurou como pesquisadora-colaboradora no projeto de pesquisa do Ministério da Justiça sobre o Estatuto do Terceiro Setor, coordenado pelo professor Gustavo Justino de Oliveira, e é autora de artigos publicados na Revista de Direito do Terceiro Setor – RDTS.

Controle das parcerias entre o Estado e o Terceiro Setor pelos Tribunais de Contas
Autora: Janaina Schoenmaker
Editora Fórum
ISBN: 978-85-7700-494-2
248 páginas
Formato: 14,5 x 21,5 cm
1ª edição 2011
Preço: R$ 49,00
Área específica: Terceiro Setor
Área afim: Direito Administrativo

Lançamento
21 de novembro de 2011
Das 19h às 21h
Local: Livraria da Vila – Loja Lorena
End.: Al. Lorena, 1731 – Jardins – São Paulo/SP – Tel.: (11) 3062-1063

Outras informações sobre a obra aqui.

Assessoria de imprensa
Helena Castello Branco
Comunicação & Cultura

VII Encontro Internacional de Músicas e Danças do Mundo – Dançando pela Paz

Professores da Bulgária, Irã e Kosovo ministram aulas de danças e ritmos étnicos

Para beneficiar a saúde e promover a paz e a união entre os povos, o Centro de Estudos Universais realiza de 25 a 29 de janeiro de 2012, na Praia Busca Vida, Bahia, o VII Encontro Internacional de Músicas e Danças do Mundo – Dançando pela Paz. Na sétima edição, os destaques são as oficinas de danças persas e dos Bálcãs e os workshops de música e ritmos ciganos. A programação inclui sessões de relaxamento, canto, paneuritmia, alongamento, gyrokinesis, massagem, além de danças circulares e brasileiras. O encontro acontece no Hotel Bahia Plaza Resort, que oferece pacotes de hospedagem exclusivos aos participantes.

Entre os professores convidados está Sani Rifati, de Kosovo. Dançarino e coreógrafo, iniciou cedo o aprendizado das danças tradicionais ciganas, na antiga Iugoslávia, e integrou trupes de danças antes de tornar-se professor. Circula o mundo levando a mensagem de suas raízes culturais e da condição de seu povo. No Encontro na Bahia, ministra uma oficina de dança dos Balcãs.

Uma das raras artistas iranianas que divulgam e preservam o folclore e as danças tradicionais persas, Rana Gorgani coordena uma oficina de danças tradicionais do Irã, além da Sama-dança sufi, danças do Afeganistão, danças nômades e ritmos persas. Seu trabalho resulta de pesquisas sobre músicas, costumes, ritos e símbolos da Pérsia manifestados através da dança.

O mestre Rumen Sali Shopov, da Bulgária, faz um workshop de músicas e ritmos ciganos dos Bálcãs. Multiinstrumentista, Shopov é versado especialmente em percussão e cordas e integra diversas bandas étnicas nos Estados Unidos. Sua trajetória é marcada por ritmos de origem turca, búlgara, macedônia, grega e kosovar.

“Participar de danças étnicas é um modo de conhecer e reviver o sentimento dos povos aos quais pertencem, afirmando sua identidade e difundindo sua cultura de forma pacífica e solidária”, diz Glaucia Rodrigues, diretora do Centro de Estudos Universais.

Criado em 1998, o Centro de Estudos Universais, associação civil sem fins lucrativos, congrega pessoas dispostas a exercer sua corresponsabilidade para a transformação do planeta e da própria saúde, visando a estudar, pesquisar, produzir e divulgar ideias, possibilidades e serviços que integrem os saberes fundamentais: a arte, a ciência e a espiritualidade.

Serviço:
VII Encontro Internacional de Músicas e Danças do Mundo – Dançando pela Paz

De 25 a 29 de janeiro de 2012
Hotel Bahia Plaza Resort – Estrada do Coco, Km 8 (Praia Busca Vida, Bahia)

Preços:
Até 26 de dezembro de 2011: R$ 800,00 (2 parcelas)
Até 26 de janeiro de 2012: R$ 1.000,00 (2 parcelas)

Hospedagem:
Hotel Bahia Plaza Resort
www.plazahoteis.com.br
Valores especiais de diárias para o evento, com todas as refeições inclusas.

Inscrições e informações:
Centro de Estudos Universais

www.ceuaum.org.br
www.dancandopelapaz.com.br
dancandopelapaz@ceuaum.org.br
Tels.:  (11) 3071-3842 e (11) 3847-3584

Assessoria de imprensa
Helena Castello Branco
Comunicação & Cultura